Marcadores bioquímicos maternos – segundo trimestre

No segundo trimestre da gestação, diversos produtos feto placentários presentes na circulação materna também são considerados marcadores de aneuploidias.

Em gestações de fetos com trissomia do cromossomo 21, as concentrações destas substâncias são significativamente diferentes daquelas encontradas em gestações normais:

α-fetoproteína (AFP) e estriol não-conjugado (μE3): ambos com níveis significativamente menores;

fração livre do hormônio gonadotrofina coriônica humana (β-hCG) e inibina A: com níveis significativamente maiores.

Na prática clínica estas dosagens costumam ser realizadas entre 14 e 21 semanas; o teste triplo consiste na dosagem simultânea da AFP, μE3 e β-hCG, e sua sensibilidade é de aproximadamente 65%, para taxa de falsos positivos de 5%. Já o teste quádruplo consiste na inclusão da dosagem de inibina A ao teste triplo, elevando a taxa de detecção para 70%.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Você pode se interessar:

gravidez e pandemia

Gravidez e infecção por Covid-19

É fundamental conhecermos os riscos e as consequências da infecção pelo Covid-19 sobre o desfecho da gestação, envolvendo inclusive os riscos de internação e mortalidade.