Como fazemos o diagnóstico de Anomalias Cromossômicas?

As anomalias cromossômicas estão entre as principais causas de óbito intrauterino e déficit mental na infância. O diagnóstico definitivo destas condições só é possível a partir da análise estrutural e contagem numérica dos cromossomos contidos no interior das células, um estudo laboratorial denominado cariótipo.

Para que seja possível o diagnóstico pré-natal destas condições, amostras de origem fetal são obtidas por meio de procedimentos como a biópsia de vilo corial (coleta da placenta), a amniocentese (coleta do líquido amniótico) ou a cordocentese (coleta de sangue fetal). Todavia, devido ao seu caráter invasivo, estes procedimentos estão associados a complicações e risco de aborto de aproximadamente 0,5 a 1%.

Assim sendo, estes procedimentos costumam ser indicados somente em gestações consideradas de alto risco para anomalias cromossômicas fetais nos testes de rastreamento.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Você pode se interessar:

Gravidez após os 40 anos

Gravidez após os 40 anos

Conheça mais sobre os detalhes da gravidez depois dos 40 anos Nas últimas décadas o papel da mulher na sociedade mudou de maneira considerável. Os