Varicocele e Infertilidade Masculina

Neste artigo abordaremos questões referentes à varicocele e como ela pode interferir na infertilidade masculina.

O que é?

A varicocele consiste na dilatação atípica das veias dos testículos. Na maioria das vezes o testículo afetado deixa de funcionar como deveria, pois com o retorno venoso prejudicado há uma significante queda na qualidade e quantidade dos espermatozoides produzidos nos túbulos seminíferos.

Geralmente ela ocorre em adolescentes, com a chegada da puberdade, e tem uma taxa de incidência considerável até os 25 anos. Por isso é fundamental que adolescentes façam uma visita ao urologista quando os sinais da puberdade começam a aparecer, para que seja feita uma avaliação preventiva.

A varicocele é considerada a principal causa da infertilidade masculina e, em casos raros e extremos pode gerar disfunções eréteis.

Os sintomas

Geralmente a varicocele não causa incômodos ou dores, ou seja, é uma condição assintomática. Embora seja raro, é possível que alguns adolescentes sintam um aumento do volume escrotal, sensação de peso no(s) testículo(s), algum desconforto no local ou dores testiculares.

O mais comum é que a varicocele ocorra no testículo esquerdo (80 a 95% das vezes), porém existe a possibilidade de que ambos os testículos sejam atingidos (25 a 45%). O testículo direito raramente é acometido por essa disfunção.

Pela sua característica silenciosa, muitas vezes os homens somente percebem que há algo errado com seu aparelho reprodutivo na idade adulta, quando tentam ter filhos e não conseguem.

O diagnóstico

Para realizar o diagnóstico é necessário consultar um urologista que, por meio de um exame físico indolor, pode identificar os sinais da varicocele.

A inspeção dos testículos é bastante simples, mas em alguns casos, podem surgir dúvidas sobre o diagnóstico. Nessas situações um ultrassom com Doppler é utilizado para confirmar em definitivo o diagnóstico da doença.

Por que a varicocele causa infertilidade?

O princípio do processo que leva à infertilidade é o aquecimento constante do testículo. Essa elevação na temperatura desencadeia uma formação elevada de radicais livres que comprometem a qualidade das células responsáveis pela produção dos espermatozoides.

Com o passar do tempo essas células prejudicadas acabam extintas, em consequência disso a produção de gametas diminui e o testículo reduz de tamanho. Com menos espermatozoides no organismo as chances de engravidar a parceira, evidentemente, ficam muito menores.

Os tipos de varicocele

A varicocele pode se manifestar em diferentes níveis, a depender do grau de dilatação dos vasos testiculares: I (leve), II (moderada) e III (grave).

Os níveis que podem comprometer a fertilidade do paciente são os II e III. Importante ressaltar que nem todo homem com varicocele corre o risco de desenvolver infertilidade. Depois de diagnosticada, alguns exames complementares devem ser solicitados para uma avaliação mais precisa da função testicular e da quantidade e qualidade dos espermatozoides:

  • exame de sangue para verificação das taxas hormonais
  • espermograma
  • avaliação dos volumes testiculares

O tratamento

A varicocele tem cura e o tratamento pode ser realizado com remédios ou por cirurgia, conforme a necessidade de cada caso.

Os tratamentos medicamentosos buscam melhorar a circulação, recuperar a fertilidade e aliviar desconfortos e dores sem a necessidade de fazer uma intervenção cirúrgica. Outros métodos que também podem auxiliar no tratamento incluem compressas de gelo e a prática de natação.

Ademais, existe um tipo de tratamento que pode ser levado em consideração que é a embolização de varicocele, processo não cirúrgico parecido com um cateterismo.

Realizado pelo cirurgião endovascular, esse procedimento minimamente invasivo consiste em injetar substâncias embolizantes que fecham as veias alteradas para impedir que nelas o sangue fique acumulado.

Já o procedimento cirúrgico tradicional, que visa o fechamento das veias obstruídas do plexo venoso testicular,  recebe o nome de varicocelectomia. Pode ser realizada por laparoscopia ou pelo método tradicional. O tempo de recuperação varia, mas recomenda-se que o esforço físico seja evitado entre 2 e 4 semanas e as atividades sexuais devem ser suspensas por 10 dias.

Não se esqueça: cuidar da saúde é primordial. Vá ao urologista, converse e tire suas dúvidas. É muito importante que os homens tenham a consciência de fazer check-ups e consultas preventivas, dessa forma muitas complicações podem ser evitadas.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Você pode se interessar:

ovario policistico

Ovários Policísticos (SOMP)

Os ovários policísticos afeta 13% das mulheres em idade reprodutiva SOMP – causa comum de infertilidade Ovários policísticos – SOMP – doença endócrino-metabólica cujas características

gravidez e pandemia

Gravidez e infecção por Covid-19

É fundamental conhecermos os riscos e as consequências da infecção pelo Covid-19 sobre o desfecho da gestação, envolvendo inclusive os riscos de internação e mortalidade.