Sinéquias Uterinas

A decisão de ter um filho é muito importante, porém muitas vezes surgem empecilhos na realização desse sonho e alguns casais enfrentam dificuldades para engravidar. A infertilidade, que pode ter as mais diversas causas, é o principal fator de impedimento para 15% dos casais brasileiros que querem ter filhos.
Quando o assunto é a infertilidade feminina, as sinéquias uterinas são uma das causas que precisam ser levadas em consideração.

O que são?

As sinéquias uterinas são tecidos cicatriciais que ocorrem no revestimento interno da cavidade uterina.

Como “pontes”, esses tecidos ligam paredes opostas do útero e podem acometer desde a camada funcional do endométrio (que é expelida na menstruação), até a camada basal (responsável pela reconstrução da camada funcional) e também o miométrio (camada média do útero que corresponde à parte muscular do órgão).

A maneira como afetam a saúde e qualidade de vida da paciente varia bastante e podem ocorrer em diversos pontos da cavidade uterina e também do canal cervical.

Essas aderências possuem três estágios: leve, moderada e grave.

Quando as sinéquias apresentam um nível de desenvolvimento leve, elas apontam tecido endometrial em sua formação, em toda lesão ou em parte dela.

No estágio moderado já é possível detectar, na constituição das sinéquias, tecido fibromuscular revestido por endométrio, total ou parcialmente.

Em seu estágio mais avançado, a enfermidade apresenta um tecido muito denso em sua composição que compromete a cavidade uterina de forma agressiva.

Existe muita desinformação sobre essa condição, por isso vale ressaltar que ter sinéquias uterinas não significa ser estéril. Entretanto, cuidados são necessários, afinal há o risco de infertilidade.

Principais Sintomas:

O maior problema em identificar a ocorrência de sinéquias uterinas é que essa condição é assintomática, ou seja, não apresenta sintomas claros e específicos.

Contudo, podem acontecer algumas alterações no funcionamento do corpo da mulher que servem de alerta para que seja feita uma investigação sobre sua saúde uterina:

  • Alterações no fluxo menstrual: amenorreia (ausência de menstruação), dismenorreia (período menstrual muito dolorido com cólicas no baixo ventre e outros desconfortos extragenitais) e hipomenorreia (menstruação escassa e irregular)
  • Abortos espontâneos
  • Infertilidade

Importante dizer que se uma mulher gestante descobre que possui sinéquias uterinas, sua gravidez é considerada de risco e se faz necessário tomar uma série de cuidados para evitar complicações mais sérias.

Possíveis Causas:

As causas que podem levar ao desenvolvimento de uma sinéquia uterina envolvem algum tipo de agressão sofrida pelo útero.

Entre os motivos possíveis das lesões estão:

  • Infecções uterinas
  • Cirurgia cesariana
  • Curetagem
  • Cirurgias intrauterinas
  • Endometrites
  • Radioterapia
  • Retirada de miomas

É importante estar atenta às complicações possíveis dos tratamentos cirúrgicos e sempre fazer o acompanhamento médico com exames de rotina.

Tratamentos:

As formas de tratar as sinéquias uterinas variam de acordo com o estágio e desenvolvimento da enfermidade. Quando as lesões são leves ou moderadas é possível tratá-las com métodos minimamente invasivos.

Caso o quadro seja mais grave, com a presença de tecidos mais grossos, é necessária uma intervenção cirúrgica tradicional. Mesmo assim a cirurgia é considerada simples, com a possibilidade da paciente ter alta no mesmo dia.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Você pode se interessar:

ovario policistico

Ovários Policísticos (SOMP)

Os ovários policísticos afeta 13% das mulheres em idade reprodutiva SOMP – causa comum de infertilidade Ovários policísticos – SOMP – doença endócrino-metabólica cujas características