A Relação entre Endometriose e Infertilidade

Dr. Flávio Garcia de Oliveira

Muitas são as curiosidades e teorias que envolvem o assunto, afinal cerca de 40% das mulheres com endometriose são inférteis, o que não significa que todas terão dificuldade durante a gestação. Vamos conhecer algumas das teorias defendidas sobre o assunto:

– A endometriose pode causar cicatrizes e aderências que “grudam” os órgãos entre si, tirando-os de sua posição habitual. A consequência é a dificuldade das tubas uterinas em captar o óvulo, já que teoricamente estão aderidas a alguma outra parte da pelve. Além disto, podem existir cicatrizes no interior das tubas uterinas, bloqueando-as e impedindo o encontro do óvulo com o espermatozoide.

– O fluido peritoneal da maioria das mulheres com endometriose contém substâncias bioquímicas prejudiciais à fertilidade. Essas substâncias interferem em vários aspectos reprodutivos, exemplo: alterações tubárias, captação do óvulo e até mesmo na própria ovulação;

– O sistema imunológico de mulheres com endometriose não funciona adequadamente, uma falha no mecanismo de defesa acaba atacando o esperma e o embrião, impedindo dessa forma, a concepção e o desenvolvimento da gravidez;

– Mulheres com endometriose apresentam alterações nos níveis dos hormônios relacionados ao desenvolvimento do FSH (folículo estimulante) dentro do ovário, o que influencia diretamente no processo reprodutivo.

Fontes:

www.medicinenet.com/endometriosis/article.htm
humrep.oxfordjournals.org/content/27/7/2020/suppl/DC1

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Você pode se interessar:

COVID-19-e-a-Medicina-Reprodutiva

COVID-19 e a Medicina Reprodutiva

Covid-19 e a Medicina Reprodutiva – entenda os riscos de engravidar na pandemia A COVID-19 e a medicina reprodutiva nos posiciona a resumir os principais

2 testes da reserva ovariana

2 testes da reserva ovariana

2 testes da reserva ovariana que são importantes marcadores do número de óvulos nos ovários Os 2 testes da reserva ovariana mais realizados atualmente são: