Menu

Quais são os hormônios da fertilidade?

Dr. Flávio Garcia de Oliveira

O preceito básico de uma reprodução bem sucedida está no desenvolvimento dos gametas (óvulos e espermatozoides), na capacidade de se encontrarem, permitindo assim que ocorra a fertilização. Após este encontro, uma série de eventos ordenados deve ocorrer para que o resultado seja o transporte do embrião até o útero e, finalmente a tão desejada gestação.

Nas mulheres, após a puberdade, a cada ciclo menstrual diversos óvulos iniciam seu amadurecimento, mas, geralmente, apenas um deles cresce e amadurece o suficiente para poder ser liberado e fertilizado por um espermatozóide.

Os outros que não chegaram até tal fase involuirão num processo chamado de atresia. Na metade do ciclo menstrual, que num ciclo regular de 28 dias equivale ao 14º dia, o óvulo maduro sai de dentro do folículo, isto se chama ovulação. Saindo deste folículo, o óvulo é captado pela trompa de Falópio onde estará pronto para ser fertilizado pelo gameta masculino, o espermatozoide.

Quem comanda todo este processo de amadurecimento e ovulação são os hormônios produzidos durante a menstruação. No primeiro dia do ciclo, a glândula hipófise, que fica no cérebro, começa a liberar um hormônio conhecido como hormônio folículo estimulante (FSH). Nos 12 dias subsequentes o FSH estimula o crescimento dos folículos ovarianos. Esta fase é conhecida como a fase folicular do ciclo menstrual.

Durante esta fase, os folículos crescem, e produzem cada vez mais estrogênio. O estrogênio é um hormônio importante, pois ajuda a preparar a camada interna do útero (endométrio) para uma futura gestação. Por volta do 14º dia do ciclo ocorre a ovulação, em função do pico de outro hormônio, chamado hormônio luteinizante (LH). Esta é a fase ovulatória do ciclo. Caso a mulher tenha relações sexuais no período periovulatório, os espermatozoides liberados na relação seguem em direção ao útero e às trompas de Falópio. Desses milhões de espermatozoides, apenas um deles conseguirá penetrar no óvulo maduro, essa é a fertilização. No ovário, após a liberação do óvulo, inicia-se então a produção de progesterona. Este hormônio é o grande responsável por preparar o organismo da mulher para a futura gravidez. Um de seus papéis essenciais é facilitar a implantação do embrião ao útero.

Após a implantação, é secretado pelo embrião, o hormônio hCG (gonadotrofina coriônica humana), o qual estimula o corpo a continuar sua produção de estrogênio e progesterona, que são essenciais para a manutenção da gestação.

Quando a fertilização não acontece, a produção de progesterona é interrompida 14 dias após a ovulação, provocando a menstruação.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Você pode se interessar:

Síndrome da Hiperestimulação Ovariana

Síndrome da Hiperestimulação Ovariana

A Síndrome da Hiperestimulação Ovariana (SHO) é o efeito colateral mais comum da estimulação ovariana. Qualquer que seja a técnica de reprodução humana assistida, coito

Novembro Azul

Novembro Azul

Começou o Novembro Azul, um movimento internacional para sensibilizar a população sobre os perigos do câncer de próstata e estimular a prevenção e diagnóstico da

Tabagismo e Infertilidade

Tabagismo e Infertilidade

Saiba mais sobre a relação entre tabagismo e infertilidade Fumar é um péssimo hábito para a saúde, isso todos sabem. Entretanto, o que muitas pessoas

Cálculo de Ovulação

Técnicas para cálculo de ovulação

Cálculo de ovulação: conheça algumas técnicas para aumentar as chances de engravidar Para a ciência, um casal é considerado infértil quando, depois de um ano