Perigo para a Fertilidade: ISTs

Dr. Flávio Garcia de Oliveira

Desde os tempos de escola a gente aprende que precisa praticar sexo seguro para não engravidar. Mas o que pouca gente sabe é que se não usar preservativos e se contaminar com uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST), a gravidez pode nunca mais acontecer, mesmo se for desejada.

As ISTs, transmitidas de pessoa para pessoa por contato sexual, afetam uma em cada três mulheres sexualmente ativas até os 24 anos e são as principais causadoras de infertilidade. Entre as ISTs mais comuns estão: infecção por clamídia, gonorreia, sífilis, AIDS, herpes genital, hepatite C e B e a tricomoníase. Como normalmente estas infecções apresentam poucos sintomas visíveis, elas acabam não sendo tratadas e ameaçam a fertilidade.

Infecções prolongadas, por exemplo, frequentemente resultam em doença inflamatória pélvica (DIP) e em obstruções das tubas. Isto ameaça a fertilidade, porque a fecundação do óvulo pelo espermatozoide acontece no interior das tubas. O bloqueio torna impossível que o espermatozoide e o óvulo se encontrem de uma forma natural, que acontece nas tubas uterinas, sem tratamento.

Embora os preservativos possam reduzir muito o risco de contágio contra as ISTs quando usados sempre e da maneira correta, eles não garantem 100% de proteção.

É muito importante falar com seus parceiros sobre seus antecedentes sexuais e criar um relacionamento de confiança com seu médico, que está lá para manter e melhorar sua saúde, não para julgar suas decisões sexuais. Portanto, se você é sexualmente ativa, peça a seu médico um exame de IST e repita-o regularmente.

Infecções Sexualmente Transmissíveis

IST frequentemente não tem sintomas.

Quando a IST é descoberta no início, alguns tratamentos podem ser simples, com antibióticos, por exemplo. Mas se uma IST permanece oculta, o dano pode ser permanente e alterar ou até ameaçar a vida da pessoa contaminada. É impossível desenvolver imunidade às ISTs e algumas são incuráveis.
As ISTs não têm nada a ver com limpeza ou aparência, nem respeitam fronteiras geográficas ou sócio-econômicas
As ISTs podem ser transmitidas por sexo oral, vaginal ou anal. Mesmo que não haja penetração, pode acontecer o contágio.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Você pode se interessar:

gravidez e pandemia

Gravidez e infecção por Covid-19

É fundamental conhecermos os riscos e as consequências da infecção pelo Covid-19 sobre o desfecho da gestação, envolvendo inclusive os riscos de internação e mortalidade.