Os planos de saúde não vão cobrir os procedimentos de fertilização “in vitro” (FIV)

Planos de saúde e fertilização in vitro. Compreenda mais sobre a legislação sobre o tema

Os planos de saúde estão legalmente obrigados a cobrir procedimentos de planejamento familiar, segundo reportagem de Fabiane Leite, publicada no Estado de São Paulo em 13/05/2009.

A lei foi aprovada pelo Congresso e sancionada em 12/05/2009, sem vetos, pelo presidente Lula. Mas, deve gerar polêmica, segundo a repórter do Estadão. Isto porque o texto diz apenas “ser obrigatória a cobertura do atendimento” de “planejamento familiar”, não especificando os tipos de serviços que serão pagos pelas operadoras de saúde.

A regulamentação da lei ficará a cargo da Agência Nacional de Saúde Suplementar(ANS). Em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, o diretor de Desenvolvimento Setorial da ANS, Leôncio Feitosa, disse que ficarão de fora do “planejamento familiar” os procedimentos de reprodução assistida, tais como, inseminação intrauterina e fertilização in vitro.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Você pode se interessar:

COVID-19-e-a-Medicina-Reprodutiva

COVID-19 e a Medicina Reprodutiva

Covid-19 e a Medicina Reprodutiva – entenda os riscos de engravidar na pandemia A COVID-19 e a medicina reprodutiva nos posiciona a resumir os principais

2 testes da reserva ovariana

2 testes da reserva ovariana

2 testes da reserva ovariana que são importantes marcadores do número de óvulos nos ovários Os 2 testes da reserva ovariana mais realizados atualmente são: