O Maravilhoso Clitóris

Conheça nesse artigo as possibilidades e vantagens de explorar o clitóris.

As mulheres possuem em seu corpo o único órgão feito exclusivamente para o prazer. Oito mil terminações nervosas concentradas em um pequeno espaço: a maior concentração de fibras nervosas do corpo humano. Duas vezes mais que as existentes no pênis.

Por muito tempo ele foi negligenciado e até censurado em livros e na pesquisa científica, devido a questões políticas e sociais. Vale lembrar que ainda vivemos em uma sociedade feita para homens, pensada por homens. A misoginia e o machismo deixaram marcas difíceis de serem superadas, e o clitóris e todo conhecimento sobre ele sofreram com o padrão cultural do patriarcado.

Mulheres não são incentivadas a conhecer o próprio corpo e a se masturbarem, como acontece com os homens desde a infância. Portanto, existe ainda muito a ser feito para que possamos estabelecer a igualdade da liberdade dos corpos.

O órgão

A parte do clitóris que é possível enxergar recebe o nome de glande. Localizada acima da abertura da uretra e na junção dos pequenos lábios da vulva, tem o formato de um pequeno botão. Em média seu tamanho é de meio centímetro, que pode expandir para dois centímetros quando há excitação.

Porém, esta parte visível é apenas um pequeno pedaço de todo o órgão. Existem bulbos, localizados um de cada lado da glande, que podem atingir 10 centímetros de comprimento. O orgasmo vaginal acontece, na maioria da vezes, pela estimulação desta parte interna do clitóris.

Por ser um órgão tão importante e especial, resolvemos separar algumas dicas úteis sobre como conhecê-lo e aproveitá-lo da melhor forma.

Pratique.

Muitas vezes o clitóris não é bem desenvolvido por falta de estímulos. Essa ausência de toques e exercícios pode deixá-lo atrofiado e escondido entre a pele da vulva.

Contudo, assim como os músculos, se o clitóris for estimulado com uma boa frequência ele pode aumentar de tamanho e liberar mais potencial orgástico.

Inclua a manipulação do órgão em suas rotinas de autocuidado. Traga o clitóris para fora e segure com delicadeza o pescoço da glande. Faça movimentos gentis para que ocorra sua expansão e para deixá-lo ereto.

Lembre-se: atingir orgasmos fica mais fácil com a prática.

Explore outras possibilidades

Não adianta tocar sempre a mesma parte do corpo e da mesma forma. Muitas vezes, depois do clímax de prazer, aquela área que foi estimulada não funciona tão bem para orgasmos subsequentes. A dica é desvendar outras zonas erógenas do corpo para aumentar o repertório de possibilidades de prazer.

A entrada da vagina muitas vezes é negligenciada, tanto no sexo quanto na masturbação. É justamente essa região do corpo a principal responsável pelo estímulo da parte interna do clitóris. Esse tipo de exercício pode ajudar a tornar a penetração profunda mais prazerosa e gerar orgamos mais fortes.

Pode ser interessante pressionar a vulva contra superfícies amplas e realizar movimentos pélvicos circulares. Dessa forma, ocorre maior irrigação sanguínea no clitóris, aumentando a excitação.

Lubrificação é essencial

Para uma manipulação clitoriana mais prazerosa, é importante que a área ao redor do clitóris esteja bem lubrificada.

Caso a lubrificação natural ou a saliva não sejam suficientes, opte por lubrificantes à base de água e veja como esse detalhe pode tornar tudo mais prazeroso.

Qualidade é diferente de quantidade

Uma experiência sexual realmente satisfatória, seja sozinha ou acompanhada, demanda tempo e atenção. Não tenha pressa para aproveitar seu corpo e gradativamente você irá perceber como a qualidade dos orgasmos pode melhorar.

Converse sobre sexo

Esse assunto é tratado como tabu pela maioria das pessoas e, especialmente as mulheres foram deixadas de lado desse aspecto da vida, pelos motivos já citados anteriormente.

Diálogo é fundamental para aumentar a afinidade dos parceiros nos momentos mais íntimos. Especialistas concordam que as chances de uma relação sexual ser mais prazerosa aumentam de maneira exponencial quando os envolvidos conversam sobre suas preferências, limites, vontades e receios.

Assim, é possível evitar surpresas desagradáveis e aumentar a libido durante encontros, por exemplo.

Caso sinta vontade, ou necessidade, procure uma terapeuta especializada em orgasmo feminino. Há uma infinidade de possibilidades quando nos dedicamos ao autocuidado e autoconhecimento. Não há vergonha nenhuma em buscar compreender melhor o funcionamento do seu organismo.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Você pode se interessar:

ovario policistico

Ovários Policísticos (SOMP)

Os ovários policísticos afeta 13% das mulheres em idade reprodutiva SOMP – causa comum de infertilidade Ovários policísticos – SOMP – doença endócrino-metabólica cujas características