Entenda a diferença entre secreção natural e corrimento

Este texto busca esclarecer algumas dúvidas sobre a diferença entre secreção natural e corrimento. Confira!

Muitas mulheres podem ter dúvidas quando o assunto é a saúde da região íntima. Conferir a calcinha e nem sempre encontrá-la seca não é algo fora do normal. Porém, é muito importante prestar atenção às possíveis alterações de cheiro, textura e coloração das secreções vaginais.

Para facilitar o entendimento dessa questão, iremos apresentar a seguir as principais características que podem te ajudar a diferenciar uma secreção natural e saudável de um corrimento indicador de disfunções do organismo e possíveis doenças.

Secreção Natural:

As secreções naturais são fundamentais para a umidificação da vagina. Portanto, não são sinais de infecções e não representam motivo para preocupação.

Geralmente a secreção vaginal tende a ser mais volumosa um pouco antes do início da menstruação, durante o ciclo e logo que ele chega ao fim. Não é acompanhada de ardência, coceiras e odores fortes o suficiente para causar incômodo, como também não causam desconfortos durante as relações sexuais.

A aparência da secreção saudável é a cor branca, ou mesmo transparente, e textura similar à clara de ovo.

Corrimentos:

O corrimento por si só não é uma doença, e sim um indício de que há algo errado com a saúde vaginal.

Podem ser causados por diferentes infecções sexualmente transmissíveis (IST’s) ou por outros microrganismos, como os fungos que desencadeiam a candidíase, por exemplo.

Ardência, coceiras e dor durante o contato íntimo costumam acompanhar os quadros de corrimento vaginal.

O odor, na maioria dos casos, é bastante forte e pode ser extremamente desagradável para o olfato.

A cor dos corrimentos pode ser amarela, branca ou esverdeada, a depender do agente causador da infecção ou doença.

É imprescindível buscar auxílio médico caso você note que sua secreção vaginal passou a apresentar alterações e características como essas relatadas acima.

Marque uma consulta, tire suas dúvidas e viva tranquila com a saúde da sua região íntima.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Você pode se interessar:

ovario policistico

Ovários Policísticos (SOMP)

Os ovários policísticos afeta 13% das mulheres em idade reprodutiva SOMP – causa comum de infertilidade Ovários policísticos – SOMP – doença endócrino-metabólica cujas características

gravidez e pandemia

Gravidez e infecção por Covid-19

É fundamental conhecermos os riscos e as consequências da infecção pelo Covid-19 sobre o desfecho da gestação, envolvendo inclusive os riscos de internação e mortalidade.