Congelamento de Óvulos: saiba como funciona.

O congelamento de óvulos é uma alternativa para mulheres que desejam engravidar, porém não consideram fazê-lo a curto prazo e sim no futuro. 

A questão principal é que com o passar dos anos a quantidade e a qualidade dos óvulos liberados pelo organismo da mulher diminuem bastante, bem como as chances de engravidar. Portanto, a técnica de congelamento de óvulos possibilita a coleta e vitrificação dos gametas femininos para que sejam utilizados mais tarde em procedimentos de reprodução humana assistida. 

O preparo

Para que esse tipo de procedimento possa ser realizado, a paciente precisa fazer uma bateria de exames para avaliação das condições clínicas gerais de seus ovários e de sua reserva ovariana. Caso os exames estejam dentro da normalidade, o próximo passo é induzir a ovulação.

O ciclo ovulatório comum costuma liberar apenas um óvulo por mês, por isso é necessário contar com a ajuda de medicamentos injetáveis – as gonadotrofinas – para estimular os ovários a produzirem um número maior de óvulos no mesmo ciclo. Essa fase dura em torno de 12 dias e as injeções subcutâneas diárias causam pouquíssimo desconforto. Na maioria das vezes são as próprias pacientes que administram as aplicações.

A coleta

A coleta dos óvulos é feita por volta do 12º dia de indução do ciclo ovulatório. No dia marcado, a paciente é levemente sedada apenas para que não haja desconfortos durante o procedimento. Com tudo preparado, a coleta dos óvulos é realizada com uma agulha fixada em um ultrassom endovaginal.

Os óvulos são retirados de dentro dos folículos por meio de uma agulha bem fina e permanecem cerca de duas horas no laboratório para uma maturação.

O congelamento

Depois que um embriologista analisa os óvulos que foram captados e seleciona aqueles que possuem maior potencial reprodutivo, os óvulos devem passar por um processo de preparação antes de serem congelados. 

Os gametas são submergidos em uma substância congelante que serve de proteção para o óvulo e também reduz a quantidade de líquidos em seu interior para que não ocorra a formação de cristais que podem danificá-los.

Então, tem início a técnica chamada de vitrificação. Os óvulos são colocados em nitrogênio líquido, que atinge a temperatura de 196º C negativos em poucos minutos.

Com essa técnica, a taxa de sobrevivência dos óvulos ao descongelamento é de 95%.

Quando a paciente decidir engravidar, é necessário portanto, descongelá-los e realizar a fertilização in vitro (FIV)

Para quem o congelamento de óvulos é indicado?

O congelamento de óvulos é indicado para mulheres que não querem ou não podem engravidar no presente momento ou no futuro próximo.

O ideal é que a coleta de óvulos seja realizada até os 35 anos para que gametas de melhor qualidade possam ser congelados. O que não significa que seja impossível congelar óvulos depois dessa idade, entretanto as chances de gravidez precisam ser calculadas e explicadas para a paciente.

Mulheres diagnosticadas com algum tipo de câncer podem ser aconselhadas a realizar congelamento de óvulos caso tenham vontade de engravidar depois dos tratamentos. Pacientes que precisam retirar os ovários ou passarão por algum procedimento ou tratamento prejudiciais para a fertilidade também tem a possibilidade de recorrer ao congelamento de óvulos.

Por quanto tempo os óvulos podem permanecer congelados?

Os gametas femininos podem ficar congelados por tempo indeterminado. Além do mais, é possível que a mulher engravide depois da menopausa, desde que o útero seja preparado para tal tarefa com auxílio de hormônios.

Todavia, a recomendação do Conselho Federal de Medicina é que a fertilização in vitro seja realizada em pacientes de até 50 anos para diminuir os riscos de complicações derivadas das gestações de risco.

É fundamental que seja realizado um acompanhamento médico especializado para que a tomada de decisão de congelamento de óvulos seja a mais acertada possível.

Conhecer as chances de engravidar de acordo com a idade também pode te ajudar a compreender melhor os detalhes dessa situação.

Entre em contato com seu médico de confiança e reflita com calma sobre seus planos e vontades futuras.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Você pode se interessar:

gravidez e pandemia

Gravidez e infecção por Covid-19

É fundamental conhecermos os riscos e as consequências da infecção pelo Covid-19 sobre o desfecho da gestação, envolvendo inclusive os riscos de internação e mortalidade.