Como tratar a cólica do bebê sem a Funchicórea?

Dr. Flávio Garcia de Oliveira

Muitos bebês sofrem com cólicas, o que é normal, principalmente nos três primeiros meses de vida. A imaturidade do sistema digestivo do bebê faz com que as paredes intestinais se contraiam e relaxem sem controle e isso pode resultar em gases e levar à cólica.

Muito conhecida principalmente entre as vovós de hoje, há mais de 70 anos a Funchicórea sempre foi uma forte aliada nos combate à cólica dos bebês. O “pó milagroso” tem na sua fórmula folhas de chicória, raiz de ruibarbo, flores de funcho e sacarina, que conferem um sabor adocicado ao composto.

Embora se acreditasse que a Funchicórea pudesse acabar com a cólica, a falta de comprovação da segurança e também da eficácia para o combate às cólicas nos primeiros meses de vida fez com que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) proibisse a venda do medicamento. A proibição aconteceu no início de fevereiro de 2012, embora o processo estivesse em andamento desde 2005.
Alguns profissionais acreditam no efeito psicológico da Funchicórea, pois o bebê acabava se acalmando pelo fato de ser oferecida a ele uma chupeta embebida em um composto adocicado e que acabava tirando a atenção da dor para o gosto prazeroso do doce.

Independente de efeito psicológico ou não, o fato é que a Funchicórea não é mais comercializada. Então o que fazer para amenizar as cólicas do bebê?

Veja a seguir algumas dicas interessantes:

– Durante a amamentação, pode acontecer de o bebê engolir ar, que pode formar gases e aumentar as dores. Coloque o bebê bem inclinado para se alimentar, faça-o arrotar após as mamadas e coloque-o para dormir de lado.

– Faça compressas mornas na barriga do bebê com uma fralda aquecida ou bolsa com água morna (verifique a temperatura para não causar queimaduras).

– Faça ginástica com as perninhas do bebê como se ele estivesse “pedalando” e massageie a barriga do bebê com as mãos aquecidas com movimentos circulares durante 2 minutos, de 4 a 5 vezes por dia.

– Apesar de não ser cientificamente provado que a alimentação da mamãe pode influenciar na cólica no bebê que amamenta, vale ficar atenta a isso. Se perceber que quando você come algum tipo de alimento seu bebê tem cólica, evite esse alimento pelo menos até os três meses. Normalmente os agressores mais comuns são laticínios, chocolate, cafeína, melão, pepino, pimentão, frutas e sucos cítricos e alimentos muito condimentados.

– Não faça uso de chás para resolver o problema. Por ter um efeito calmante, o chá pode fazer o bebê dormir, mas pode provocar ainda mais cólica, já que o intestino do bebê ainda está imaturo.

– Só use remédios com prescrição médica.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Você pode se interessar:

Coronavírus, gestantes e amamentação

Coronavírus, gestantes e amamentação

Neste artigo explicaremos aspectos relevantes da relação entre o coronavírus e gestantes. Há meses estamos passando por uma experiência diferente, mas não incomum: o surgimento

Sexo na Gravidez

Sexo na Gravidez

Neste artigo iremos esclarecer as principais dúvidas sobre sexo na gravidez É comum que existam dúvidas sobre a prática de sexo durante a gravidez. Acelera

Pré-Eclâmpsia e Eclâmpsia

Pré-eclâmpsia e Eclâmpsia

Neste artigo falaremos sobre pré-eclâmpsia, eclâmpsia, seus sintomas e possibilidades de tratamento Durante a gravidez a mulher carrega dentro do corpo um ser humano em

Mitos e Verdades Sobre Gestação Gemelar

Gestação Gemelar: Mitos e Verdades

Você verá nesse artigo alguns esclarecimentos sobre gestação gemelar É normal que uma gestação gemelar, seja de univitelinos ou bivitelinos, venha acompanhada de dúvidas e