Causas menos conhecidas da infertilidade

Conheça algumas causas menos conhecidas da infertilidade feminina e masculina

Quando a infertilidade ocorre, hipóteses sobre as possíveis causas são levantadas pelos médicos para, em seguida, serem investigadas e confirmadas.

Geralmente, no caso das mulheres, as primeiras possibilidades consideradas são endometriose, problemas hormonais e ovários policísticos.

Para os homens, o mais comum, é checar as questões ligadas aos espermatozoides, sua quantidade, motilidade e morfologia.

Entretanto, as Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), inclusive aquelas que não apresentam sintomas, podem causar infertilidade tanto no homem, quanto na mulher. Por isso, é tão importante identificá-las e tratá-las o mais cedo possível.

A clamídia e a gonorreia, por exemplo, são duas ISTs que, se não forem tratadas, levam a complicações graves que podem gerar infertilidade.

Para as mulheres, o principal risco está na doença inflamatória pélvica (DIP), uma infecção do trato genital feminino que pode deixar sequelas que favorecem o acontecimento de uma gravidez ectópica ou da própria infertilidade.

Os homens infectados por gonorreia ou clamídia, por sua vez, correm o risco de desenvolver uretrite (inflamação da uretra) e orquiepididimite (inflamação nos testículos). Ambas as infecções são capazes de prejudicar os espermatozoides e a fertilidade masculina.

Abaixo você pode conhecer algumas características dessas duas ISTs inimigas da fertilidade.

Gonorreia

Causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae, essa doença é assintomática nas mulheres, enquanto os homens infectados apresentam os seguintes sintomas:

  • secreção purulenta expelida pela uretra
  • ardência ou dor ao urinar

Pode alcançar testículos e epidídimo, como também é capaz de prejudicar útero e ovários.

O tratamento é feito com antibióticos específicos. Tratar corretamente a gonorreia não é um procedimento complexo e está disponível na rede pública de saúde.

Clamídia

É a infecção desencadeada pela Chlamydia trachomatis, outra bactéria que pode ser transmitida nas relações sexuais sem proteção.

Na maioria dos casos, para homens e mulheres, é uma doença que não apresenta nenhum sintoma e quando eles ocorrem é possível confundí-los com outros tipos de infecções.

Portanto, o diagnóstico dessa doença é difícil de ser realizado, o que muitas vezes resulta no agravamento do quadro clínico com prejuízos para a fertilidade dos pacientes.

Os sintomas são os mesmos para homens e mulheres e incluem:

  • dor ou ardência ao urinar
  • secreção fluida
  • aumento da frequência urinária

As mulheres podem apresentar também, dores na região inferior do ventre e sangramentos entre os períodos menstruais.

O tratamento é feito com administração dos antibióticos mais eficazes contra a bactéria em questão. É essencial tratar, se houver, o parceiro ou parceira de maneira conjunta a fim de evitar reinfecção.

Outro aspecto fundamental sobre o tratamento das ISTs, diz respeito ao tipo de antibiótico e dosagens adequadas de acordo com a resistência das bactérias nas regiões em que os pacientes vivem.

Dessa maneira, a contaminação pode ser reduzida de forma considerável e a vida sexual e saúde reprodutiva são melhoradas.

Faça os exames de rotina, marque as consultas necessárias, converse com seu médico de confiança e tire suas dúvidas.

A infertilidade pode ser vencida.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Você pode se interessar:

Causas menos conhecidas da infertilidade

Causas menos conhecidas da infertilidade

Conheça algumas causas menos conhecidas da infertilidade feminina e masculina Quando a infertilidade ocorre, hipóteses sobre as possíveis causas são levantadas pelos médicos para, em

Exercícios Físicos Seguros para Gestantes

Exercícios físicos para gestantes

Algumas dicas sobre exercícios físicos seguros para gestantes Uma rotina equilibrada de exercícios físicos durante a gestação auxilia na prevenção de diabetes e pré-eclâmpsia, além