Menu

Brincadeiras para crianças de 0 a 100 anos

Brincadeiras para o bebê são fundamentais para o desenvolvimento

Agora o novo membro (ou novos membros) da família já está em casa e tudo está resolvido, certo? Ah, seria muito bom se fosse assim, não é mesmo? Mas o que realmente acontece é que a cada suspiro do bebê, surgem novos desafios. As dúvidas em relação ao desenvolvimento e como agir diante de algumas situações podem parecer um grande mistério, mas fiquem tranquilos! Durante este primeiro ano vamos tentar ajudá-los com informações e dicas interessantes, para que vocês possam curtir muito a experiência de ser Pai e Mãe e para que o Bebê tenha uma família feliz!
Boa Leitura!
Dr. Flavio Garcia de Oliveira

Olá Papai e Mamãe! A partir de agora, vocês irão receber via e-mail edições mensais do boletim informativo “E depois do parto?”

Os primeiros brinquedos do bebê são os pais, pois o bebê desde muito cedo já se diverte pegando os dedos dos adultos e observando suas expressões faciais. Os pais falam, cantam, dançam, encenam, fazem malabarismos e dão boas risadas com seu filho. As brincadeiras são muito importantes para estreitar ainda mais esta relação e desenvolver as habilidades motoras e visuais do bebê. As crianças que brincam mais são mais criativas e se desenvolvem melhor. Uma criança que se concentra durante longos períodos com seus brinquedos e jogos, torna-se um adulto atento a suas obrigações e interesses.

Uma boa maneira de estimular o aprendizado é brincar um pouco no nível da criança e depois induzir um nível novo, mais complexo. Exemplo: depois que a criança aprender a brincar com uma boneca, pode-se induzi-la a uma conversa entre duas bonecas.
Mas lembre-se sempre que a brincadeira deve ser espontânea e nunca se deve tentar forçar ou apressar a criança. Os momentos de brincadeira devem ser encarados como períodos de pura diversão, pois mesmo influenciando no desenvolvimento, a brincadeira deve ser divertida para todos!

Confira as brincadeiras ideais para cada fase do seu bebê!

De recém-nascido até 1 mês e ½
O bebê ainda não consegue segurar objetos intencionalmente. Só por reflexos. Cantar, abraçar e acariciar estimula os sentidos.

De 2 a 4 meses
O bebê passa a ter as primeiras reações intencionais. Ele diverte-se quando é levado ao alto e gosta de fixar o olhar em objetos atraentes e coloridos. Brinquedos sonoros, com texturas e formatos de fácil manipulação e móbiles são uma boa opção.

De 5 a 7 meses
A criança já consegue ficar mais tempo fixando um objeto e sente-se atraída por sons. O bebê já emite alguns ruídos para chamar a atenção. Aos 7 meses já atende pelo nome. Tapetes de atividades e brinquedos sonoros são ideais.

De 8 a 10 meses
A criança gosta de jogos e já interage com jogos simples. Livrinhos de banho, jogos interativos, bichos de pelúcia e bonecos agradam muito.

De 11 meses a 1 ano
A criança já consegue concentrar-se por um pequeno período de tempo ouvindo uma história. Repete tudo o que escuta. Gosta de reproduzir as palavras que aprendeu. Quando consegue equilibrar-se bem, a bola também é um elemento inseparável. Livros com grandes figuras e pouco texto que retratem objetos de seu dia-a-dia (mamãe, papai, carro, mamadeira), livros com fotos ou desenhos de bichinhos, telefones e bolas são excelentes.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Você pode se interessar:

Causas menos conhecidas da infertilidade

Causas menos conhecidas da infertilidade

Conheça algumas causas menos conhecidas da infertilidade feminina e masculina Quando a infertilidade ocorre, hipóteses sobre as possíveis causas são levantadas pelos médicos para, em

Exercícios Físicos Seguros para Gestantes

Exercícios físicos para gestantes

Algumas dicas sobre exercícios físicos seguros para gestantes Uma rotina equilibrada de exercícios físicos durante a gestação auxilia na prevenção de diabetes e pré-eclâmpsia, além

Diferença entre FIV e ICSI

Diferença entre FIV e ICSI

Conheça, neste artigo, a diferença entre FIV x ICSI As técnicas de reprodução humana assistida são alternativas para casais que apresentam algum problema em engravidar