Exercícios do assoalho pélvico na gestação, parto e puerpério

Os adeptos do Taoísmo, na China antiga, preconizavam os exercícios do assoalho pélvico para alcançar longevidade, promover saúde e incrementar a espiritualidade.

Arnold Kegel, médico ginecologista, por volta de 1948, prescrevia o fortalecimento desses músculos para o tratamento da incontinência urinária.
Apesar de serem escassas as investigações sistematizadas sobre o tema, há indícios de que o treinamento da musculatura do assoalho pélvico possa prevenir a incontinência urinária, tanto feminina, quanto masculina.
Além disso, os exercícios são usados no tratamento do prolapso vaginal e na prevenção do prolapso uterino.

Os exercícios de Kegel, como são chamados, têm sido uma ferramenta importantíssima na Fisioterapia aplicada à Saúde da Mulher.
Na gestação, devido a fatores como as mudanças hormonais, o aumento do peso e a distensão abdominal, ocorre redução na performance dessa musculatura, assim como no restante do corpo. Espera-se que um assoalho pélvico forte e elástico evite traumas perineais, diminua o tempo de expulsão no parto normal e previna a incontinência urinária nas fases gestacional e puerperal.

Assim sendo, tanto gestantes, quanto puérperas não se arrependerão por terem incluído esses exercícios em sua rotina diária de atividade física.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Você pode se interessar:

Gravidez após os 40 anos

Gravidez após os 40 anos

Conheça mais sobre os detalhes da gravidez depois dos 40 anos Nas últimas décadas o papel da mulher na sociedade mudou de maneira considerável. Os