A Obesidade e a Gestação

Dr. Flávio Garcia de Oliveira

A Escola de Medicina de Harvard concluiu que a obesidade tem efeito negativo sobre os resultados de reprodução. Os estudos indicaram que mulheres com IMC igual ou maior do que 30 kg/m² têm menos probabilidade de engravidar naturalmente. As chances de engravidar são 68% menores do que pacientes que apresentam IMC abaixo de 30 kg/m².

A gordura presente no corpo das mulheres obesas funciona como um armazém de hormônios e transforma o hormônio feminino em hormônio masculino. A principal causa de infertilidade das mulheres obesas é a chamada anovulação – quando o corpo não é capaz de produzir os óvulos mensalmente.

Mulheres obesas apresentam também uma resistência à insulina e uma predisposição a desenvolver diabetes e ovários policísticos por causa da alteração do meio hormonal. Essa alteração age tanto na periferia do corpo, ou seja, na gordura, quanto no interior do corpo. Dentro do ovário, por exemplo, a falta de insulina atrapalha o desenvolvimento do óvulo, impedindo a gestação.

Mas o contrário também é preocupante. Mulheres anoréxicas ou muito magras também podem apresentar dificuldade para engravidar. Neste caso, o problema não tem a ver com a gordura do corpo, e sim com a hipófise, que apresenta dificuldade na produção da gonadotrofina, que interfere na ovulação.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Você pode se interessar:

Coronavírus, gestantes e amamentação

Coronavírus, gestantes e amamentação

Neste artigo explicaremos aspectos relevantes da relação entre o coronavírus e gestantes. Há meses estamos passando por uma experiência diferente, mas não incomum: o surgimento