Menu

Defeitos Uterinos (Anormalidades Mullerianas)

Podem variar desde a completa ausência do útero a mínimas deformidades na forma uterina. A presença de falha na cavidade uterina vista à histerossalpingografia ou histeroscopia, necessita de confirmação posterior através de laparoscopia ou ressonância magnética ou ultrassom 3D para diferenciar entre septo uterino, útero bicorno ou mioma submucoso.

O septo uterino não tem um significado claro como causa de infertilidade. No entanto, é causa de aborto de repetição (Glass, 1978). Decherney et al.. (1986), estudando 103 pacientes portadoras de septo uterino, num período de 5 anos, estimaram entre 15 e 25% a taxa de aborto e entre 13 e 18% a taxa de parto prematuro, obtendo uma taxa de gestação à termo após a correção do septo de 80%. Outros autores relatam uma taxa de 90% de nascidos vivos em mulheres que foram submetidas à histeroscopia para remoção do septo uterino.

As razões para esse sucesso são: não incisão do miométrio (fato que acontecia na abordagem via abdominal) e tempo cirúrgico curto. A gravidez pode ser conseguida um mês após o procedimento, bem como o parto normal pode ser tentado já que não se corta o útero da paciente. Em alguns casos de útero septado com canal cervical duplo, Donnez (1994) propõe a abordagem cirúrgica em dois tempos: o septo vaginal é ressecado com ajuda do laser de CO2 e 2 meses após, com o aspecto do orifício cervical completamente normal, promove-se a ressecção do septo uterino com o uso de YAG laser.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp

Faça sua Avaliação Gratuita

Nosso projeto consiste em fazer o primeiro atendimento sem nenhum custo em nossa clínica, onde você faz o agendamento, aguarda o contato de nossa equipe e vem preparada com todos os exames que já realizou para que o médico faça a avaliação do seu caso e escolha o melhor caminho a seguir.