TRATAMENTOS ACESSÍVEIS
RECEBA NOSSA NEWSLETTER
Notícias

Gestante e avião. Quais cuidados tomar?

Dr. Flávio Garcia de Oliveira
03/12/2013 13h49

A princípio não há problema em viajar de avião até o sexto mês de gestação (27 semanas), desde que você não tenha determinados problemas médicos como sangramento vaginal, diabete, pressão alta ou tenha tido um parto prematuro no passado - nesses casos, é recomendável falar diretamente com seu obstetra.

Algumas companhias possuem restrições para passageiras entre as semanas 28 e 34 da gestação, devido ao risco de parto prematuro. Ninguém perguntará na hora de vender a passagem, mas você poderá ser questionada no embarque e correrá o risco de não viajar. Por isso, procure se informar com a companhia que irá voar e, se for preciso, peça um atestado para seu médico. Saiba, porém, que em alguns casos, no fim da gestação (a partir de 36 semanas), só é permitido que a passageira grávida viaje acompanhada de um médico. Além disso, gestantes não devem voar em aviões pequenos que não possuam cabines pressurizadas. 

Não se deve apenas pensar nas limitações que as empresas colocam. Em condições normais, não demora muito para qualquer pessoa se sentir desconfortável dentro de um avião. Imagine uma gestante, que precisará ir várias vezes ao banheiro em uma viagem mais longa. Lembre-se que podem surgir problemas com você e com o bebê, portanto não esteja longe de seu médico ou de atendimento médico especializado. Será que vale a pena se arriscar a ter contrações antecipadas bem no meio de um passeio turístico?

Viajar de avião durante a gravidez aumenta ligeiramente o risco de trombose, de desenvolver varizes e problemas vasculares. Se decidir viajar, converse com seu médico sobre o uso de meias elásticas de compressão para ajudar e aliviar o inchaço das veias durante a viagem. Tome bastante água durante o voo, levante-se para caminhar e melhorar a circulação e de tempos em tempos troque a posição das pernas.

E quando a grávida é tripulante?

De acordo com as regras da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), comissárias de bordo não podem trabalhar em voos durante toda a gestação e devem ser transferidas para funções administrativas até o fim da gravidez.

Recém-nascido pode viajar?

Se for extremamente necessário, a partir da 1ª semana de vida o bebê já pode viajar, mas o melhor é esperar até que ele complete 1 mês e meio. A recomendação existe, pois depois desse tempo já é possível saber se o bebê possui algum problema de saúde que pode ser agravado em caso de viagem.

Além do fato de o bebê poder desenvolver ou agravar problemas pré-existentes no período que estão mais vulneráveis, não é aconselhável que ele fique por muito tempo em um ambiente fechado como o de um avião, pois existem muitos vírus e bactérias dos outros passageiros, além do ar-condicionado repleto de micróbios nocivos à saúde.

Mais Notícias

Mais Resultados

Calculadoras da Fertilidade

Calcule a data provável da sua Ovulação

ciclo regular
ciclo irregular

ver resultado

ver resultado

Calcule a data provável do parto do seu bebê

ver resultado

Verifique se seu peso (durante a gravidez) está na faixa ideal * disponível à partir da 13ª semana de gestação.

exemplo: 1 .70 m
exemplo: 61 .5 kg

ver resultado

Nossos Livros Publicados

Bebê a Bordo

Uma obra alegre e esclarecedora que acompanha as 40 semanas da gravidez, mostrando as transformações no corpo da mulher e o desenvolvimento do bebê (ou dos bebês, no caso de múltiplos).

ver
E depois do parto?

E depois do parto?

O bebê nasceu. E agora? Neste livro, a mulher, em especial, e o também marido, vão ter dicas e orientações de como se portar nessa nova etapa de vida.

ver
Galeria de Imagens

Endereço:
Rua Caçapava, 49 • 12º andar
Jardim Paulista • São Paulo • SP • Brasil
CEP: 01408-010

Fone: +55 (11) 3386-1800

WhatsApp: +55 (11) 97230-1800

atendimento@clinicafgo.com.br

© COPYRIGHT 2015, FGO Clínica de Fertilidade
NOS ACOMPANHE
Alerta
Ok
Carregando
Erro

Não foi possível ler a página!